Acesso a Intranet

Artigos

Agrupamento de vacas leiteiras

  Modernizar o setor leiteiro é buscar a eficiência e a competitividade, que são chave para sucesso em qualquer negócio. Para isso o produtor não precisa fazer transferência de embriões, comprar animais caros, ou usar tecnologias sofisticadas.

Modernizar o setor leiteiro; é realizar as atividades de manejo na época certa, interessar-se por seu rebanho, fazer acompanhamento das atividades, promover maior satisfação dos seus trabalhadores com orientações e treinamentos técnicos, secar as vacas 60 dias antes do parto, utilizar economicamente os concentrados, descartar os animais tecnicamente; (os de menor produção e os com problemas de fertilidade).

O produtor deve integrar-se à cadeia produtora, participando de uma rede de informações e serviços, com tendência a crescimento e visão de futuro de sua atividade.

Ser competitivo é usar o rebanho adequado para as condições de sua propriedade e organizar o manejo para produzir com viabilidade econômica.

Investir para baixar custos, e não apenas tentar abaixar custos sem estar com o sistema de produção totalmente planejado, sistematizado e na mão.

 Agrupar vacas é a primeira decisão do produtor ao manejar seu rebanho, qual vaca deve ser designada para qual grupo, o que ela deve comer, se o controle de alimentação é em grupo ou individual; caso o numero de vacas seja pequeno, para isso o bom senso deve prevalecer.

Os números de grupos de vacas no curral variam com:
O tamanho do rebanho e a homogeneidade, o tamanho do lote das vacas, o número de vagas por lote, além das condições das instalações; o tamanho da sala de ordenha, sala de espera ou do barracão de ordenha.


O agrupamento pode ser feito de acordo com:

  • Os requerimentos nutricionais.
  • Nível de produção de leite.
  • Estado reprodutivo.
  • Estagio de lactação.
  • Idade.
  • Condição corporal.
  • Estado sanitário.
  • Peso corporal
  1. Vacas em inicio de lactação, são mais exigentes em energia e proteína que em final de lactação.
  2. Quanto maior o volume de leite e o teor de gordura produzidos pelo animal maior as necessidades nutricionais.
  3. Vacas de primeira cria, geralmente são ordenhadas primeiro devido a saúde do úbere, volume de produção, e sua alimentação em separado pois necessitam mais alimento devido ao crescimento, alem de pesquisadores notaram que naturalmente estes animais ingerem menor quantidade de matéria seca que o restante das  vacas do rebanho.
  4. O agrupamento por  idade limita a diversidade social e dominância dentro do grupo.
  5. Juntar vacas vazias(não prenhas) dentro de um mesmo grupo, pode melhorar a eficiência do manejo reprodutivo, através da detecção do cio centralizando a atenção dentro de um grupo menor de animais.
  6. A separação de um grupo para manejar as  vacas doentes em separado das saudáveis, permite que as vacas tratadas com antibióticos sejam ordenhadas por último, separando o leite para evitar a presença de resíduos no leite vendido.

O mais difundido método de divisão de vacas são os lotes pelo controle leiteiro, e não considera:

O peso corporal, o estágio de lactação, a idade ao parto, e o status reprodutivo.

A divisão de grupos pelo controle leiteiro torna os grupos mais homogêneos, e é o método mais econômico e racional de alimentação (melhor suprimento das exigências nutricionais).

Um ponto crítico é a movimentação de vacas entre grupos diferentes; quando você movimenta vacas com uma dieta com alta energia, para uma dieta com média energia, a produção de leite tende a diminuir.

O principal resultado da separação dos animais por grupo, é a economia com a alimentação evitando superalimentar vacas baixas produtoras de leite dentro do grupo.
     
O fluxograma em anexo sugere agrupamentos para melhor controle das vacas na propriedade, muitos produtores tem fichas individuais ou em programas específicos para manejo, aqui mostramos a praticidade de usar marcador com corda para divisão também através do controle reprodutivo, facilitando aos tratadores e ao próprio fazendeiro visualizar o animal e identificar seu status dentro do rebanho, podendo tomar decisões imediatas de manejo para diminuição de custos ou aumento de renda.

 

« voltar