Acesso a Intranet

Notícias

Carrapato-de-Boi Boophilus microplus

 

No Brasil, a principal espécie de carrapato que compromete a produtividade da pecuária bovina, comumente chamado de carrapato-do-boi, denomina-se Boophilus microplus. Os prejuízos causados por esse ácaro, à pecuária brasileira, superam a um bilhão de dólares anualmente. Tais prejuizos, nos bovinos, são evidenciados, principalmente, pela :
- ingestão de sangue (uma fêmea pode ingerir até 1 mililitros de sangue durante sua alimentação sobre o hospedeiro) que, dependendo do npumero de infestações, pode comprometer a produção de carne e leite;
- pela inoculação de toxinas nos hospedeiros, promovendo diversas alterações e consequências fisiológicas, como a inapetência alimentar;
- pela transmissão de agentes infecciosos, principalmente Anaplasma e Babesia, responsáveis pela tristeza parasitária bovina (TPB)
- pela redução da qualidade do couro do animal, por causa das cicatrizes irreverssíveis ocasionadas durante a alimentação, verificadas por ocasião de seu beneficiamento no curtume.

Devem-se ter cuidados especiais no controle a esse carrapato, por se apresentar como uma fonte de prejuízo à criação bovina, principalmente nos núcleos de raças européias de corte e leite. Entretanto nas regiões onde se explora o zebuíno, esse parasito não deve deixar de ser considerado, pois em situações especiais de manejo que levam ao estresse, tais como a deficiência alimentar, as altas concentrações por hectare, e desmame interrompido ou precoce, sua presença torna-se importante não só como agente espoliativo ou tóxico, como também pela transmissão da TPB.

Os produtos carrapaticidas constituem uma opção que melhor resultado oferece ao produtor no combate ao carrapato.
A escolha e o uso correto, tanto nas concentrações e na dose por animal, quanto na frequência de aplicação assim como a mudança de produto quando necessária, são fatores preponderantes para a obtenção de resultados esperados.

Historicamente, tem-se verificado o desenvolvimento de populações de carrapatos após algum tempo de uso da maioria dos carrapaticidas lançados no mercado.
É fundamental importância o periódo residual do produto, para a determinação dos intervalos de aplicações.

Como estratégia de aplicação dos carrapaticidas em bovinos na região Centro-Oeste, a Embrapa Gado de Corte recomenda aplicações no início do periodo chuvoso (setembro/outubro), repetindo-se por mais três vezes em intervalos de catorze ou 21 dias ou, após a primeira aplicação, transferir os animais para pastagens limpas de carrapatos. Para os demais produtos, respeitar os intervalos entre os tratamentos, determinados pelos fabricantes.

Texto Original: EMBRAPA-CNPGC
Resumido por Antonio Pereira
Fonte de pesquisa: www.tvagro.com.br

 

« voltar